Siga-nos:

O fruto dos litorais tropicais

Não se pode dizer ao certo qual a origem do coco: através das correntes marítimas, as sementes do coco, caracterizadas por sua baixa densidade, se espalharam pelo litoral de diversos países tropicais, originando coqueiros em continentes como África, Ásia e Oceania.

 No brasil, os coqueiros foram introduzidos pelos portugueses por volta de 1553, durante o processo de colonização do país.

Apesar da existência de diversas espécies de coco, a mais conhecida e presente no Brasil é o coco Nucífera, popularmente conhecido como coco baía. Pode ser encontrado tanto em forma de coco verde, ideal para produção de água de coco, e em forma de coco seco, ideal para produção do óleo de coco, coco seco in natura , coco ralado e leite de coco.

Atualmente, a maior parte da produção nacional de coco está concentrada na região Nordeste, sendo o estado da Bahia o maior produtor nacional, seguido dos estados do Sergipe e Ceará.

Benefícios para Saúde

O coco baía, rico em nutrientes, é considerado uma das frutas mais saudáveis que existem no Brasil. Justamente pela sua variedade de formas e composições, o coco baía é uma fruta completa, pois seus benefícios para saúde englobam tanto a alimentação quanto a beleza e bem estar, como cuidados para a pele e cabelos.

Muitas pessoas possuem receio de introduzir o coco em seus hábitos alimentares por conta da existência de uma considerável quantidade de gordura saturada, mas isso na realidade é um mito: os nutrientes do coco, graças a presença dos ácidos graxos, são direcionados para o fígado, onde são absorvidos e transformados em fonte de energia rápida, ou em corpos cetônicos – produtos derivados da quebra dos ácidos graxos, os quais possuem funções como o auxílio no tratamento de certos distúrbios cerebrais, como a epilepsia e o Alzheimer.

BENEFICIAMENTO

O Coco baía e sua versatilidade

O coco baía é uma fruta muito conhecida pela sua utilização na alimentação, principalmente em forma de coco ralado. Também é conhecido pelo seu óleo, utilizado como um cosmético natural e na composição de produtos para pele e cabelos. É uma matéria-prima extremamente versátil, com aproveitamento realizado de forma integral: todos os processos produtivos pelos quais o coco baía passa geram coprodutos.

Quenga (casca) – A quenga do coco baía nada mais é do que a casca de coloração marrom, encontrada no coco seco. Possui alto poder calorífico, sendo assim, utilizada para a produção de energia: sua queima pode ser a fonte de energia para o funcionamento do equipamento da etapa da secagem. Também pode ser triturada e comercializada como biomassa. Quando o coco está verde, a casca é chamada de bucha. Também pode ser utilizada como fonte de energia, mas seu poder calorífico é menor.

Amêndoas > Coco seco – As amêndoas do coco baía, após o descasque, podem ser comercializadas como coco seco in natura , opção saudável de alimentação. Após processo de trituração, podem ser comercializadas como coco ralado, produto muito conhecido e utilizado dentro da culinária brasileira. Também podem passar pelo processo de secagem, resultando em coco ralado desidratado.

Película – A película é uma camada de característica fibrosa, localizada entre a quenga (casca do coco seco) e a amêndoa. Para não afetar a coloração do coco, deve ser retirada, já que possui cor de tonalidades escuras. Entretanto, a película pode gerar um coproduto: contém alta concentração de óleo, o qual pode ser extraído e utilizado para fins cosméticos.

Óleo – O óleo de coco bruto é resultado do processo de prensagem das amêndoas de coco baía. Após filtração, o óleo de coco pode ser utilizado para alimentação humana, como por exemplo, em chás, sucos, saladas e cafés. Também pode servir como um cosmético natural, além de compor produtos como shampoos, condicionadores e cremes.

Farelo (torta) – O farelo é o produto restante do processo de extração do óleo de coco. Após passar por trituração e padronização, também pode ser aproveitado como coco ralado.

Os processos produtivos - O coco baía pela Scottech

EQUIPAMENTOS RELACIONADOS

O descascador é o equipamento que realiza a retirada da quenga (mesocarpo) do coco baía, separando-a da amêndoa.

O despeliculador é o equipamento utilizado para retirar a película do coco baía, camada fibrosa e escura localizada entre a amêndoa e a quenga.

O moinho de martelos é o equipamento que realiza a trituração das amêndoas do coco baía - etapa da moagem.

A mesa de secagem é o equipamento que realiza a desidratação das amêndoas do coco baía já moídas.

A prensa extratora é o equipamento utilizado na etapa da prensagem, a qual consiste na extração do óleo de coco bruto.

O filtro prensa é o equipamento que realiza a filtração do óleo de coco bruto.

O filtro prensa industrial é o equipamento que realiza a filtração do óleo de coco bruto.

BrazilUSA